Capa
N2Wcriação e desenvolvimento web.
Apelido
Senha
SAB
25/11
17:44
Você está aqui: N2W - Blog - Estudos - Psicologia - Os 5 degraus das necessidades humana

Blog

Os 5 degraus das necessidades humana

24 de junho de 2015 atualizado em 24/06/2015 22:22:59 - 99 cliques
/estudos /psicologia
Jefferson,UT2DK0325
0ad487bfce863c9a_591x394

1º - Fome

Segundo Abraham Maslow, que estabeleceu a Hierarquia das Necessidades Humanas, a base da pirâmide, ou seja a base de tudo e portanto o mais importante, é a sobrevivência do indivíduo. Fome. Alimentação. Comida, água e ar. Se o indivíduo estiver com fome, se seus níveis de açúcar estiverem caindo drasticamente, ele não pensa em outra coisa, só num prato de comida. Enquanto esse nível não for resolvido, não é possível para esse indivíduo, pensar em outra coisa. Um prato de comida é tudo o que ele precisa, é tudo o que ele busca e é tudo o que ele pensa, sua maior prioridade. Nessa situação, ou bem próximo disso, encontram-se cerca de dois bilhões de indivíduos no planeta. Ganham menos de dois dólares ao dia, moram em casas de lata e trabalham dezesseis horas por dia para produzir os "brinquedinhos" que serão consumidos e utilizados pela outra parte da população do planeta. Trabalho escravo mesmo.

2º - Sexo

Após resolvido o primeiro degrau (fome), o indivíduo agora busca a preservação da espécie. Sexo, procriação e suas decorrências (abrigo, proteção e alimento para a prole, etc.). Está incluído aí arranjar e manter um emprego, o pagamento da hipoteca, minha casa minha dívida, a escola das crianças, o material escolar, as compras no mercado, o aluguel, a água, a luz, o telefone, a prestação do carro, as roupas, o cartão de crédito, os juros do cheque especial, o SPC, o SERASA, a poupança, a conta corrente, o computador, a Internet, créditos para o celular, a TV a cabo, a TV LED 42?, Casas Bahia, móveis novos para a cozinha, arranjar mais um emprego (e manter os dois), fazer sexo, cuidar dos filhos, trocar fraldas no meio da madrugada, fazer sexo, dar banho nas crianças, mandá-las para a escola, fazer sexo? Bom, é preciso fazer sexo para manter a espécie. Então vamos fazer sexo. De novo! Neste nível se encontram os demais cinco bilhões de indivíduos no planeta, a classe média. Passam a vida trabalhando e pagando contas. São seduzidos pela mídia de todas as formas possíveis para comprarem cada vez mais, consumirem cada vez mais, e assim terem cada vez mais contas para pagar. Somam-se a isso os impostos, taxas, e despesas acessórias obrigatórias, como citado acima. consumismo exagerado no Brasil a estrutura de distração e hipnose coletiva é cuidadosamente planejada para que o indivíduo fique enredado nesse degrau. Quanto mais ele se esforça para sair, mais enredado ele fica. Os dois primeiros recados psicológicos funcionam aqui: "O trabalho é um fardo" e "a mulher é culpada por todo mal do mundo". Como é possível resolver a questão dos relacionamentos afetivos e sexuais quando se tem um recado no subconsciente que diz: a mulher é culpada por todo mal que entrou no mundo? Como é possível resolver a questão do endividamento e todas as dificuldades financeiras decorrentes disso, quando se tem um recado no subconsciente que diz: "o trabalho é um fardo, um castigo"?

3º - Poder

A humanidade inteira está travada e hipnotizada nos dois degraus anteriores. Uma parte dela são escravos totais, a outra parte, escravos com alguns privilégios. Só uma pequena minoria, pequena mesmo, está no terceiro degrau. Se depois de tudo isso, o sujeito conseguir fazer sobrar um tempo, então ele pensará no terceiro degrau (Poder e Auto estruturação). Já é possível perceber que não sobra tempo para mais nada, então o sujeito só pensará de relance que há algo mais a fazer na vida além de trabalhar, pagar contas, sustentar família e fazer sexo. Então, dificilmente um cidadão comum irá além do segundo degrau na hierarquia das necessidades humanas, segundo Maslow. Ele ficará permanentemente preso no segundo degrau, sem possibilidade nenhuma de evoluir. No terceiro degrau o sujeito busca se estruturar, exercer o controle sobre situações e pessoas, com o objetivo de manter as condições necessárias aos degraus anteriores. Para isso, ele precisa de conhecimento, informações, pessoas chave e subordinados. É aqui que funciona o terceiro recado psicológico: "O conhecimento é perigoso". Sem conhecimento não há poder.

4º - Autoconhecimento

Para evoluir, para crescer como pessoa, é necessário ir além, é preciso chegar ao quarto degrau, o Autoconhecimento, que é onde o sujeito busca informações, estuda, aprende, se informa, se esclarece, questiona, debate, discute, compara? Tudo isso no sentido de entender melhor a si mesmo e aos seus semelhantes. Mas como ele chegará nessa fase, se ele mal consegue passar da fase de procurar comida, comer, procurar companhia, fazer sexo, procurar abrigo, pagar aluguel, procurar emprego, trabalhar, procurar comida, pagar contas, fazer sexo, procurar escola para os filhos, pagar escola? Para chegar ao auto conhecimento, é necessário ter resolvido os problemas relacionados aos degraus anteriores, fome, sexo, poder. Mas ele (o sujeito) ainda está parado na questão de que fazer sexo é pecado, então esqueça o poder e o autoconhecimento. Espiritualidade então, nem pensar. Aqui também funciona o terceiro recado psicológico: "O conhecimento é perigoso". Sem busca pelo conhecimento não há autoconhecimento.

5º - Espiritualidade

Para se alcançar um nível mínimo de espiritualidade, é necessário, é imperioso que se tenha resolvido as questões dos níveis anteriores. Não se pode falar de espiritualidade para alguém que está lutando a duras penas para conseguir um simples prato de comida. Da mesma forma, é impossível convencer alguém que está lutando a duras penas para manter seu emprego, sua casa, sua família e outras coisas que são decorrentes disso. Além disso, há um estrutura milenar de repressão sexual que deixa o sujeito confuso. De um lado se reprime a sexualidade enquanto de outro lado estimula-se uma sexualidade degenerada, deturpada, sem troca de afeto, sem sentimento, sem compromisso. Cria-se uma aura de coisa ruim em torno do assunto, e obviamente estabelece-se uma dicotomia entre sexualidade e espiritualidade. Como alguém que está travado no segundo degrau de Maslow pode pensar em sexo como algo sagrado? E as poucas pessoas que tentaram demonstrar o aspecto sagrado e até mesmo regenarativo da sexualidade, foram ferozmente atacadas e até "eliminadas", tendo seus trabalhos destruídos e desvirtuados. Cria-se também uma dicotomia onde coloca-se a prosperidade econômica e financeira de um lado e a espiritualidade de outro. Passa-se uma ideia (velada) de que para se estar espiritualizado é necessário passar fome e não ter dinheiro e abrir mão de quase todo o conforto moderno. Sexo então, nem pensar, pois é sujo e pecaminoso. E assim o "sistema" mantém a humanidade inteira presa, travada no segundo degrau, sem solução, e para garantir que todos fiquem por lá, criam-se mais dicotomias, para que as pessoas fiquem em posições opostas e jamais se entendam. Exercer a espiritualidade é antes de tudo, reconhecer o divino dentro de cada ser vivo, incluindo você mesmo. Mas como você irá reconhecer o divino dentro de si, se durante anos você tem sido convencido de que é um pecador, imundo, cheio de defeitos, não merecedor das graças de Deus, e que o tal do Deus que lhe ensinaram a acreditar está fora de você e não dentro? E ainda por cima lhe ensinaram que esse Deus tem um povo escolhido e que trata os seus "escolhidos" de maneira diferente dos demais, sou seja, um Deus que discrimina e é preconceituoso, além de fomentar guerras e total genocídio para desocupar a "terra prometida", reservada para seus "escolhidos". Fica realmente muito difícil, com tanta informação propositalmente confusa, exercer uma espiritualidade sadia.

fonte: http://n2w.com.br/oOJtR

Em destaque

944ce413054364f16efcde557999fdf86804221523b7841f

Veja